Amar também é isso


Quem nunca amou sem ser correspondido, possivelmente tem falta de uma experiência magnifica na sua vida! 

A ver se me explico:

Quando duas pessoas se apaixonam uma pela outra é fantástico, o amor correspondido cria fogo de artifício, sorrisos tolos, cumplicidade, o dar, o dar-se, o descobrir, o partilhar, apoiar... enfim, é lindo. 

No entanto, quando o amor que se sente por alguém não é correspondido da mesma forma, ao contrário de sofrimento, deveria ser encarado com alegria. 

Imagino que por esta altura muitos dos que me lêem devem estar a pensar que estou doido, mas não, reparem:

A pessoa que não sente o mesmo não tem culpa, o amor simplesmente acontece, não se força, e desde que a pessoa não se aproveite disso (pois por vezes existe quem não queira, mas também não deixa de dar esperança porque lhe sabe bem ter um(a) admirador(a) na mão), é uma excelente oportunidade de criar laços incríveis. 

Mais: como por certo todos concordam, existem vários tipos de amor (amor pelos filhos, pelos pais, amigos, etc), ora se por vezes se tem amor por um(a) amigo(a) tão forte como se fosse família (e até mais), porque não aproveitar o amor não correspondido para o mesmo? 

Pessoalmente não entendo quem se afasta de alguém porque ama e não é correspondido, caramba! 

Se não ama da mesma forma que tu, mas gosta de ti, aproveita(!), o amor não correspondido sublima-se e transforma-se em algo igualmente grandioso, mas noutro estado que não uma relação amorosa convencional. 

Amar também é isso, dar tudo, mesmo sabendo que o retorno não é aquilo que desejarias num primeiro momento, no entanto, pode ser tão bom! 

Quem ama afastar-se? Nem pensar! Mas isso sou eu que sou um idealista... 


0 comentários:

Enviar um comentário

Todos os comentários serão publicados, excepto spam e/ou os que contenham linguagem inapropriada.

Laudas mais lidas nos últimos 7 dias