Um dia igual aos outros

Bip Bip, Bip Bip, Bip Bip – A seguir ao sinal sonoro, o computador central da residência desligou parcialmente o alarme permitindo movimento dentro de casa, depois disso fez soar a sua voz – Bom dia Sr. Andrade, são 7h30 da manhã, segunda-feira, dia 9 de julho de 2153, a manhã apresenta-se com alguma neblina, mas a previsão aponta para uma tarde de sol com céu limpo e uma máxima de 32 Graus Celsius, o seu banho está pronto e a sua roupa está no closet.

No WC a água começa a correr, mas passado uns minutos o detetor de movimento ainda não percecionou absolutamente nada, na falta de movimento o computador desligou a água e iniciou uma verificação por scanner 3D a todas as divisões, não percebia qualquer ser vivo dentro de casa, no entanto no quarto uma forma sem vida jazia na cama e mesmo tapado pelos lençóis o computador associou a forma a um possível ser humano.

Rapidamente entrou em modo de emergência emitindo sinais de alerta para a central de emergência médica, ao fim de um tempo sem obter qualquer resposta iniciou o procedimento seguinte, emitindo sinais para a central de segurança associada à residência, bem como para as forças policiais.

O computador central com a sua frieza de máquina programada passou todo dia a repetir os mesmos procedimentos, ao bater a meia noite e como era uma versão barata de subúrbio, desligou o estado de emergência, acionou o alarme total e entrou em modo poupança, adormeceu os principais sistemas e ficou em stand by durante sete horas e meia.

--

Bip Bip, Bip Bip, Bip Bip – A seguir ao sinal sonoro, o computador central da residência desligou parcialmente o alarme permitindo movimento dentro de casa, depois disso fez soar a sua voz – Bom dia Sr. Andrade, são 7h30 da manhã, terça-feira, dia 10 de julho de 2153, está uma agradável manhã de sol, céu limpo e a previsão aponta para uma máxima de 34 Graus Celsius, o seu banho está pronto e a sua roupa está no closet.

No WC a água começa a correr, mas passado uns minutos o detetor de movimento ainda não percecionou absolutamente nada, na falta de movimento o computador desligou a água e iniciou uma verificação por scanner 3D a todas as divisões, não percebia qualquer ser vivo dentro de casa, no entanto no quarto uma forma sem vida jazia na cama e mesmo tapado pelos lençóis o computador associou a forma a um possível ser humano.

Rapidamente entrou em modo de emergência emitindo sinais de alerta para a central de emergência médica, ao fim de um tempo sem obter qualquer resposta iniciou o procedimento seguinte, emitindo sinais para a central de segurança associada à residência, bem como para as forças policiais.

O computador central com a sua frieza de máquina programada passou todo dia a repetir os mesmos procedimentos, ao bater a meia noite e como era uma versão barata de subúrbio, desligou o estado de emergência, acionou o alarme total e entrou em modo poupança, adormeceu os principais sistemas e ficou em stand by durante sete horas e meia.

--

Na enorme Estação Espacial Mundial Cátia olhou pela vigia que servia de janela, o Planeta Terra apresentava-se aparentemente calmo, lindo como sempre, vieram-lhe à memória as brincadeiras de criança na escola e o jardim em frente de casa de que tanto gostava.

Limpou as lágrimas que teimaram em aparecer, sentou-se confortavelmente na poltrona ergonómica disponível nos seus aposentos privados e disse em voz alta – Adão 3000, quero fazer o diário de hoje – e pensou – que ironia, esta lata grande têm o nome de Jardim do Éden e o computador central é o Adão 3000, não fosse a situação mais triste da minha vida até me ria da ironia!

Aparentemente do nada surge a voz já conhecida de Cátia – Estação Espacial Jardim do Éden, dia 15 de julho de 2153, pode gravar o diário a seguir ao sinal sonoro – Bip.

Ela ajeitou o cabelo, inspirou fundo, encostou a cabeça para trás e começou – mais um dia igual aos outros, hoje na enfermaria tive de aplicar um calmante cutâneo a mais um dos meus colegas de presidio acidental, até ao momento as coisas continuam aparentemente controladas, temos água, comida sintética e medicamentos para os próximos 48 anos, mas não creio que 200 pessoas a viverem presas neste inferno consigam aguentar tanto tempo. 
 
A última sonda que enviámos ao Planeta Terra continuou a apresentar-nos valores tóxicos elevadíssimos e de todas as vezes que os nossos potentes sensores varreram a superfície do planeta em busca de sobreviventes não obtivemos sucesso. Já nenhum de nós acredita que existam outros seres humanos vivos além de nós! – lembrou-se dos pais por breves momentos e finalmente soltou – fim de gravação.

Enquanto ouviu o Adão 3000 a debitar as instruções habituais indicando que o diário tinha sido gravado com sucesso, dirigiu-se ao seu beliche individual, deitou-se, olhou o teto metálico enquanto esperava pelo sono... e o futuro não lhe pareceu nada sorridente.

0 comentários:

Enviar um comentário

Todos os comentários serão publicados, excepto spam e/ou os que contenham linguagem inapropriada.

Laudas mais lidas nos últimos 7 dias