Regras cibernéticas para quando eu morrer

Calma. O título deste texto parece indicar que as próximas linhas são mórbidas, no entanto o objetivo é exatamente o oposto, assim, pretendo escrever de uma forma ligeira e falar de coisas sérias com humor.
Espero conseguir dar a minha opinião e passar o sumo da mensagem no meio... sem que ninguém se sinta de alguma forma insultado ou magoado.
É a minha opinião. Escrevo baseado nas minhas experiências e crenças pessoais, assim, nem sequer coloque a possibilidade de se sentir ofendido na sua crença.

Aviso feito, cá vai:
Por certo todos vocês já tomaram consciência que algures no futuro vamos bater a bota. Também é certo que a maioria não gosta de falar nisso, nem tão pouco de pensar sobre isso, mas senti necessidade de escrever sobre a morte em relação a mim próprio!
Não sabemos como será a Internet no futuro, mas nos dias de hoje e ao ver o que acontece na Internet perante a morte dos outros, consigo imaginar mais ou menos o que pode eventualmente acontecer comigo… e meus amigos, não tenho paciência para essas tretas… ora, como a um morto nada se recusa, vou tentar explicar-me ainda vivo.

Não quero mensagens em nenhum recanto da Internet, ainda menos com coisinhas do tipo:

  • Mais uma estrela no céu – meus amigos, estrelas são enormes e luminosas esferas de plasma, ora não creio que me transforme numa bola de plasma depois de quinar;
  • Olha por nós, ou a variante mais um a olhar por nós – tomara eu estar em condições de olhar por mim próprio, além de que para aqueles de vós que forem ateus esta é uma frase especialmente tola, já para os que de alguma forma acreditam que existe algo para além desta vida, peçam ao vosso anjo da guarda para olhar por vocês, é essa a função dele, não a minha;
  • Eterno descanso, descansa em paz, RIP e semelhantes – se é para rogarem pragas, mais vale estarem quietinhos! Descansar eternamente?! Ao fim de um mês ou dois o descanso já soava a inferno… do lado de lá da vida conto ter muito que fazer e muito para aprender, essa história de ir para uma nuvem todo nu tocar arpa são histórias da carochinha (já para não falar que a minha figurinha todo nu a tocar arpa não era bom de se ver!);
  • Qualquer outra coisa na linha de raciocínio dos pontos anteriores - deixem-se estar sossegaditos s.f.f. 
Querem fazer algo que me agrade? Enviem-me um pensamento bom, alegre e sigam com o que estão a fazer!
Quanto às coisas materiais, tanto me faz, mas se quiserem colocar um epitáfio, ao menos que tenha sentido de humor (um volto já por exemplo).

E por fim, se por acaso eu morrer pouco tempo depois de escrever isto, livrem-se de pensar que foi uma premonição ou algo do género, se acontecer foi por pura coincidência (mesmo!). No entanto, se porventura isso acontecer, mais cedo ou mais tarde conto cá voltar e deixar uma mensagem a dizer como é!

0 comentários:

Enviar um comentário

Todos os comentários serão publicados, excepto spam e/ou os que contenham linguagem inapropriada.

Laudas mais lidas nos últimos 7 dias