Amor sublime


Li algures que o sentimento de amizade é amor sublimado.

Isto deixou-me a pensar: sublimado… amor sublimado…

No dicionário, sublimado está definido como algo que se sublimou, ou seja que se tornou sublime, que foi elevado à maior altura, exaltado, engrandecido.

É bonito! Mais do que bonito é verdade! Quem tem a sorte de desfrutar de um amigo verdadeiro sabe que é assim, não existe competição, as opiniões antagónicas respeitam-se, as eventuais discórdias não se transformam em discussões, e se por acaso trocam alguma argumentação mais acesa é com respeito… lá está, é com amor, o auge para mim é quando um deles faz algo menos bem e pelo “poder” da amizade é perdoado de coração.

E com os casais? Porque tantas vezes não acontece o mesmo?

A resposta por certo é complexa e multifacetada, no entanto um livro que li recentemente deixou-me a pensar e acho que encaixa aqui.

O titulo “Mulher procura homem impotente para relacionamento sério” é desconcertante, comecei a ler o dito por curiosidade e de repente estava preso à historia, confesso que passei bons momentos a rir enquanto percorria avidamente aquelas páginas, é uma história inteligente que nos coloca bem dispostos e coloca a nu algumas coisas que não gostamos de abordar.

O enredo gira à volta de uma mulher com 35 anos, dececionada com os namorados que teve até então, em dado momento e a quente (depois de uma discussão) decide colocar um anúncio no jornal à procura de um homem impotente para relacionamento sério e curiosamente obtém repostas! Mais… com essa brincadeira encontra o homem que se revela ser o grande amor da vida dela!

E o que é que se retira daqui? Não sei bem… mas ocorreu-me que se calhar o sexo serve de pilar a demasiadas relações, quando na realidade o pilar deveria ser a amizade, e não, não me parece que esteja a escrever uma série de balelas. Sexo entre duas pessoas que se amam é importante e não creio que a maioria de nós seja como o Gandhi (consta que o Gandhi e a mulher se amavam tanto que não sentiam necessidade de vivenciar a sua sexualidade!) isso são pessoas talvez muito espiritualizadas e nós, os comuns dos mortais, não o somos, no entanto nem oito, nem oitenta (nem viver sem sexo, nem viver para o sexo) e é aqui que na minha opinião bate o ponto:

Quantos casais se formam ou subsistem ao longo de um tempo à conta de se darem bem na cama?

Devemos escolher para parceiro(a) alguém com quem consigamos conversar (é bom para a velhice), mas acima de tudo, devemos ter como parceiro(a) um(a) amigo(a)… um(a) grande amigo(a)… chamem-me idealista, sonhador, o que quiserem… mas quem não gostava de partilhar a vida com um amor sublime?!

6 comentários:

  1. Sofia Felizardo24.9.13

    Adorei cada frase! É bem verdade...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sofia,
      Talvez a minha leitora mais antiga... teimas em visitar-me já desde o tempo do taralhouco anonimo :D
      Ainda bem que gostaste, bjs.

      Eliminar
    2. Sofia Felizardo25.9.13

      Gosto de saber o que andam a fazer/pensar/sentir os amigos que não posso ver todos os dias.
      Ainda para mais, senti o texto de uma outra forma que não vou aqui explicar. :) Beijo e abraço grande para ti e Pati!

      Eliminar
    3. Um dia deste explicas-me isso ;)

      Eliminar
  2. Rodas25.9.13

    epa oh Francisco.....adorei!!!! muito bom mesmo.
    se esse livro existisse em pdf é que era...

    abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Rodas,

      Estive à procura e não encontrei em .pdf

      :(

      Eliminar

Todos os comentários serão publicados, excepto spam e/ou os que contenham linguagem inapropriada.

Laudas mais lidas nos últimos 7 dias