Porque uso Linux?


Esta pergunta poderia ser facilmente respondida com o slogan da página DistroWatch: "put the fun back into computing", mas tenho mais algumas coisas a acrescentar!

Desde 2006 que deixei de usar Microsoft Windows cá em casa e não, não passei a usar Macintosh, não tenho absolutamente nada contra os produtos destas duas empresas, mas de facto agrada-me usar um sistema operativo de código aberto, onde qualquer pessoa pode alterar o que bem entender.

Existem centenas de distribuições diferentes, cada uma com características próprias e adequadas a um perfil ou a um gosto pessoal, daí que não se possa dizer que a distribuição A seja melhor ou pior do que a B, a sugestão que deixo a quem se quer iniciar é simples: experimente três ou quatro e decida-se pela que gostar mais, ou por aquela que achar mais fácil.

Sobre isso já escrevi no artigo Que ditribuição Linux escolher?, fica o convite para (re)lerem.

Desde 2006 já experimentei/usei uma série de distribuições, como o Fedora, Debian, Mint, openSUSE, PCLinuxOS, Xubuntu, SliTaz, Caixa Mágica e outras, mas as que considero mais user friendly são o Ubuntu (para usar no meu computador) e claro o Andoid (no meu telefone).


O Ubuntu é a distribuição mais simples de usar e no meu ponto de vista coloca o Windows num cantinho, habituei-me muito rapidamente ao Ubuntu e tenho de ser franco, o Linux tem a fama de ser complicado mas é exactamente o oposto!

Mas vamos então perceber o que para mim são as principais diferenças entre o Ubuntu Linux e o Microsoft Windows (o sistema operativo mais utilizado em Portugal):

Para se obter o Ubuntu, basta aceder a http://www.ubuntu.com/ e fazer o download gratuito e completamente legal do sistema operativo, gravar para um DVD ou para uma pen e por fim instalar o dito no computador.

Antes de instalar, o DVD permite que você experimente sem modificar absolutamente nada no seu computador, assim, quando inicia o seu PC através do DVD é permitido arrancar o Ubuntu e embora fique mais lento (visto que está a trabalhar exclusivamente pelo DVD), consegue ver se tudo funciona, se gosta, que programas tem à disposição, etc.

Agora que já vimos como obter e instalar o Ubuntu, vamos ver como fazer o mesmo no Windows:

Não existe nenhum site onde possa fazer o download gratuito e legal do Windows e se você pedir à Microsoft para lhe disponibilizar um link onde o possa fazer, eles riem-se de si.

Para o obter de forma legar, o mais fácil será dirigir-se a uma loja e pagar um valor com 3 dígitos (medo!!).

Para aqueles que tenham a tentação de argumentar que o seu Windows veio incluído quando compraram o computador, relembro que o valor final que pagaram já inclui o preço do sistema operativo... na pratica o mesmo computador sem o Windows é mais barato.

Em Portugal é muito difícil conseguir uma loja que venda um computador sem sistema operativo, mas existem (eu comprei o meu portátil assim).

Com o Windows você não o consegue experimentar sem instalar.

Quando o instala, este não detecta outro sistema operativo e apaga tudo (com qualquer distribuição Linux acontece o oposto, detecta o que têm instalado e só apaga o que você quiser).

Depois do Windows instalado, terá de se preocupar em arranjar um bom antivírus, firewall, um programa para processar texto, folha de cálculo, etc... nesta fase tem duas opções (excluindo a pirataria claro), pode arranjar tudo isso em programas gratuitos disponíveis na Internet, ou pagar, como por exemplo os casos do Microsoft Office, e do Norton Security, entre outros.

Inexplicavelmente a maioria das pessoas que não são piratas, no lugar de colocarem programas igualmente bons mas que são open source e estão disponíveis gratuitamente, optam por pagar!

Não se percebe.

Mas voltando à nossa comparação:

No Ubuntu, como em qualquer outra distribuição Linux é muito difícil (praticamente impossível) ser infectado com um vírus, basta instalar um firewall e anda pela Internet seguro.

No Ubuntu já terá instalado por defeito o LibreOffice, programas de edição de imagem, gravação/reprodução de CD, jogos, etc.

Mas há mais!

Pode aceder ao Centro de Software Ubuntu e fazer buscas de outros softwares que ache necessário, existem milhares de programas gratuitos à disposição que substituem o que você costuma usar (por vezes até são melhores)... a maioria compatível com Windows claro.

O Windows é um software fechado, assim as opções que tem disponíveis para personalizar o seu sistema operativo são limitadas, no Ubuntu é o inverso.

No Windows só recebe actualizações de segurança quem tem um produto original, quando sai um novo (normalmente 3 anos depois) tem de se pagar o update.

No Ubuntu não existem cópias piratas, assim, todos recebem as actualizações de segurança, além disso sai uma nova versão de 6 em 6 meses e qualquer pessoa faz o update gratuitamente.

Não será o momento de você experimentar o Ubuntu?

4 comentários:

  1. Pois é... boas francisco, eu segui a tua sugestão e acabei com o linux mint 14 nadia KDE, na minha opinião para quem usa windows não vai ter grande dificuldade em adaptar-se...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Gustavo,

      É curioso, neste momento também estou a usar o Mint 14, mas a versão Cinnamon :)

      Concordo contigo, quem usa Windows e coloque a preguiça e o medo de experimentar coisas novas de lado, não vai ter dificuldade nenhuma com estas novas distribuições, cada vez estão mais fáceis de utilizar!

      Abraço.

      Eliminar
  2. João Rebelo15.12.14

    Olá Francisco,

    Por esta afirmação "No Ubuntu, como em qualquer outra distribuição Linux é muito difícil (praticamente impossível) ser infectado com um vírus, basta instalar um firewall e anda pela Internet seguro." indico que a diferença entre o software malicioso de uma distribuição Unix para uma com base no Microsoft Windows está somente na quota de mercado que cada SO tem. Com isto digo que não se fala muito em Virus para Unix porque a quota de mercado em computadores pessoais destes SOs é muito reduzida.

    Qualquer software está sujeito a falhas de segurança e não deves acreditar que por usar Ubuntu, Kubuntu, Xubuntu, CentOS, Red Hat Entreprise ou qq outro SO do mundo Unix que estás seguro contra ataques informáticos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá João,

      Sim, o que escreve é verdade.

      Ainda assim e embora não tenha absolutamente nada contra a Microsoft ou a Aple, os sistemas operativos destes dois são mais vulneráveis.

      As razões prendem-se em primeiro lugar porque são muito mais utilizados, logo são alvos mais apetecíveis... e depois porque como as distribuições Linux são na maioria sistemas abertos, normalmente quando surge uma ameaça a comunidade percepciona-a e defende-se mais rapidamente.

      Mas sim, de facto não existem sistemas perfeitos ;)

      Eliminar

Todos os comentários serão publicados, excepto spam e/ou os que contenham linguagem inapropriada.

Laudas mais lidas nos últimos 7 dias